Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amor Esquisito


Classificar este sentimento
Ah, não!  Não é possível
Arrepio que percorre na espinha
Pensamento que não morre
O tudo e o todo, plenamente
Nada mais preenche a vida
Este rir e chorar juntos
Orvalho da nossa madrugada
Sol radiante destes dias, meses
Impulso vital a nos unir
Atravessando a matéria
Embarca no espírito e desaparece
Somos Orfeu e Eurídice
Não olhamos pra trás, jamais
Druidas em nossas magias
A tecer planos mirabolantes
Nos caldeirões dos cabos virtuais
Cordões de bonecos marionetes
Movidos pelo coração, sem razão
Restamos agora, atados e mudos
De espanto... incapazes de entender
Grudados nesta teia estranha
Tentando com uma vara de condão
E toda ardidez e tentativa
É vã, diante de tamanha constatação
E antes que os sonhos virem cinza
O que este amor esquisito precisa
É de tornar os corpos: canibais
Não só em verbos, substantivos, sonhos
Mas além da margem e do papel!

Vera Sarres 25/09/2007 – 16:20

Vera Sarres
Enviado por Vera Sarres em 26/09/2007
Código do texto: T669886

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vera Sarres
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
114 textos (4154 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 04:56)
Vera Sarres