Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amar-te

Amar-te, mesmo depois de me ver desfeita,
Foi pedir à vida mais do que ela poderia me dar;
E descuidada, envolvida na ilusão, não fui aceita.
Mas tornei-me forte, mais serena, ao aprender a levantar.

Este amor que vai, no tempo se diminuindo,
Ensina-me que mesmo com noites de insônia que de solidão reveste,
Mesmo em ciladas do destino caindo,
Tenho que te agradecer por toda inspiração que me deste.

Lancei aos teus pés o mais louco dos amores,
E vi morrer a mais doce das ilusões,
Que ironia! Ver-te frio assim, nem um pouco de ternura!
Diante da mais pungente das dores.

Outrora insana acreditava e por isso me entreguei à desventura,
Que enquanto havia um amor esvaindo, outro mais forte viria surgindo...
Louca! A paz nem sempre vem após os tormentos.
A felicidade nem sempre é a redenção por horas infindas de lamentos!
Mel L Frankust
Enviado por Mel L Frankust em 30/09/2007
Código do texto: T675343

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mel L Frankust
Goiânia - Goiás - Brasil
749 textos (34699 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 12:47)
Mel L Frankust