Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Olhares em Movimento

A vida tem dias em que o desejo de ser águia eleva a fúria
Momentos em que o aconchegar de asas de um flamingo é o abrigo
Capaz de criar uma explosão cor-de-rosa do tamanho dos sonhos
Fracções em que o rosto de um palhaço se perde pela multidão
E se visualiza a arvore da vida como o tronco do destino
Sendo a sombra das borboletas projectadas no casco de um navio as emoções

Incapaz de encobrir a luz da janela retalhada a cortina balança
Permitindo ao sol visualizar o corpo solitário e prostrado do cansaço
Tentando freneticamente acompanhar a velocidade dos pensamentos
Que embatem na íris da difracção solar e recebem o aconchego de uma mente inquieta
Enquanto isso o banco do jardim aguarda pacientemente a presença
Que o tempo não faz perdoar e tão somente encaminha para a jornada final

O guerreiro que de mochila às costas parte em busca do infinito
Com olhar disperso no horizonte e cara triste segue a marcha
De um coração que bate inquieto de saber e de prazer
Buscando o reconhecimento de uma aurora perdida na eternidade
Embarcando nas trevas da ilusão ou no brilho da escuridão
Tal qual a noite de tempestade se perde no azul celestial

E a bola de sabão da existência absorve o chilrear dos pássaros
O encanto de viver e existir na copa livre do mundo real
Sentir que o mar abraça a ausência que a presença beija
Em gotas de paixão que transbordam no coração para a imensidão
Enquanto isso a vida segue lado a lado com a doçura de um olhar
Perdido na retina de quem deseja amar para além do ideal

E nessas parcas horas de saudade o relógio eleva o tiquetaque
De um coração absorto no holograma que a razão cria com a emoção
Mágicos instante de vagas loucuras enquanto o sol e põe no horizonte
E o céu em cores de fogo derrama o seu ultimo beijo de calor
É nesses instante que a atmosfera envolvente faz sentido e é segura
Talvez porque o coração ama, ou porque simplesmente a companhia encanta
Os laços que a ternura invade de coragem e os tempos
Que a memória afaga na eternidade suave de um anjo que acompanha
Os traços sinuosos de mais um dia vivido com o sabor da felicidade
Sonya
Enviado por Sonya em 18/10/2007
Reeditado em 29/07/2008
Código do texto: T699084

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sonya
Portugal, 35 anos
170 textos (17458 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 18:29)
Sonya