Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

oi
* Pedras que rolam,          
rolam sem sentido
* criam novos caminhos 
ou descobrem novos atalhos. 
* As rosas, muitas vezes, 
mesmo dando muito trabalho 
* sobrevivem graças aos espinhos 
fazendo o jardim mais lindo! 
* Tempestades escurecem os céus, 
deixando tudo nublado
* e às vezes caem devagar, 
apenas para refrescar
* não ali, mas bem longe, 
onde tiver que regar
* fertilizando outro lugar 
a natureza é que sabe o que faz.
* Não existe mal permanente, 
nem  bem que dure para sempre 
* nem nada que não se esqueça 
nem amor verdadeiro que esmoreça.
* O amor que temos é evidente,
é amor que pulsa, é amor latente 
* e pode ser que permaneça...
enquanto houver borboletas 
* Basta que sempre me queira 
como na janela as minhas violetas 
* e ao teu coração obedeça 
sou fiel ao nosso amor, nada muda. 
* Amor, eu amo você! 
Sobrevivo por acreditar nisso, não me iluda! 
* Nunca mesmo desapareça...
desaparecerei, mas dentro da tua jaqueta!

Melissa Lorenzi  &   * Bratto




TRANSPARêNCIA
Enviado por TRANSPARêNCIA em 18/10/2007
Reeditado em 26/09/2010
Código do texto: T699555

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Suavidade). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
TRANSPARêNCIA
Campinas - São Paulo - Brasil
732 textos (39468 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/17 22:00)
TRANSPARêNCIA