Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HISTÓRIA DE AMOR

por Regilene Rodrigues Neves


Quero viver essa história de amor
Talvez ache cedo ainda
Pra chamá-la de amor
Mas amor é amor
E ele acontece
Nos melhores e piores corações
A certeza está na diferença de como ele se manisfeta em nós
É inconfundível para aquele que ama,
Erramos? Sim,
Mas não na forma da sua existência plena e absoluta,
Mas na forma de como o doamos,
Porque o amor é livre e pleno,
Senti-lo apenas é o nosso destino,
O amor vive através do tempo
E aninha-se para sempre no aconchego do coração,
Não dá espaço a quem quer que seja

É magnânimo e belo
Só o define quem a sensibilidade pode suportar
Aceitá-lo é ser digno dele
E compreendê-lo faz parte da essência da alma
Ele não pede e não cobra
É extenso como o encontro do rio e do mar
É mágico na beleza infinita do tempo
É único e insubstituível,
Pois só conhece um em cada existência...
O resto é ímpeto de paixão!

O amor é fruto da verdade de quem ama
Pela dimensão que alcança
Defini-lo em verdade
É não perguntar a razão o porque?
É aceitar sem contestar
Porque é amor, amor não se define...
Amor vem de dentro pra fora
Deixe chegar sua hora
E então compreenderás o que é amor!

Esse sentimento vasto atinge o ser amado
E o assusta contesta o porque
Mas não admite ser
Mas quem ama sabe sê-lo etéreo
Vive como a ode no coração do poeta
E fazem-se sonhos e fantasias
 Por obedecer e atingir apenas os gestos
Amar não traz a sofreguidão de ser amado
Querer esse amor é aceitação, é renuncia!
É concordar com sua liberdade
E atrever em fazê-lo sentir o ser amado
Amor é infinito em suas definições
Mas único em teu nome AMOR!
Quero doar meu amor hoje a ti
Porque é teu
Não posso dá-lo nem emprestá-lo a outro que me peça
Porque não é um objeto
É um sentimento puro e verdadeiro
Que é teu
Só quer existir não quer pedir
Quero que apenas sinta e compreenda sua beleza!

Ser amado
É recebê-lo sem medo nem covardia
Instale-o em seu coração e deixe-me ser moradia
Soprarei-te lindas poesias
Para afagá-las em carinhos e gestos de cumplicidade
 Aplacando essa gritante distância que nos separa
Para que a saudade não doa e o amor não fira
É que te amo assim meu amor!


Criado em 15 de outubro de 2003
regipoeta
Enviado por regipoeta em 13/11/2005
Código do texto: T71164

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
1312 textos (134383 leituras)
22 e-livros (7176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:25)
regipoeta