Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMENIDADES - CANTO XVI - Serei por acaso ?

Hoje quando saio
percebo o silêncio a minha volta,
olho-me muitas vezes espantado,
gosto do silêncio acariciado
mas nem tanto assim, pode causar revolta.


Pergunto muitas vezes a mim próprio
se sou a brisa, o vento
que chega de mansinho ou de tocaia;
por este estado de mistério em contra-tempo
não sei ..... estarei nesta raia  ?


Serei por acaso ?
O amanhã, quando não sei nada, pudera .....
nada do ontem, ou será:
não digo nada, quanto mais do hoje, quem dera .....
O que sei então ...... Olhe e verás ......


Peço somente ao tempo
que me deixe contemplar
o perfume das rosas e dos campos.
Mesmo estando desnudo a esperar,
lembro vagamente dos jasmins aos prantos.


E neste último instante
deste hoje, como é doce amar
e belo estes tempos, estas vias, esta herança,
estas alvas praias a derramar
flores molhadas, ternas esperanças.

tabayara sol e sul
Enviado por tabayara sol e sul em 27/10/2007
Código do texto: T712107
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
tabayara sol e sul
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
615 textos (122363 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 22:26)
tabayara sol e sul