Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Letras 0180 - Um dia, a morte!



 

 

 Um dia deste vou morrer,

não morrer de amor,

morrer para esta vida,

como poeta quero ver a luz.

 


 

Descobri um caminho,

foi ontem, outro dia,

quando meu pai fechou os olhos

e caminhou, e caminhou.

 

 

Um dia destes vou morrer,

como meu pai hoje,

passou e repassou seus pecados,

viu alguns milagres e foi.

 

 

Digam meu nome no campo santo,

hoje falei de um outro homem,

falem comigo, depois,

quando um dia eu morrer.

 

 

Hoje meu pai foi para o infinito,

talvez nem saiba direito o caminho,

levou seu rosário e uma oração,

no peito, bem dentro, endereço do céu.

 

 

É, qualquer dia deste vou também voar,

quero o céu com nuvens pra descansar,

um sorriso na boca dos amigos,

da minha filha um beijo que deixa marca.

 


 

Se puder rezem, como fiz toda madrugada,

se não, apenas me acompanhe até o campo,

de lá eu vou, eu vôo, eu caminho.

com o nome que meu pai me deu, como o dele.

 

 

Um dia vou morrer, como ele, meu pai,

um dia voltarei a encontrá-lo, também outros,

minha mãe, meus amigos, meu Deus...

Um dia destes, quando eu morrer...

 

 

01/11/2007

Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 01/11/2007
Código do texto: T719599
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 69 anos
4429 textos (116900 leituras)
1 e-livros (168 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 14:55)
Caio Lucas