Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Que posso fazer se meus dias 
nascem com a poesia raiando como o sol?

Que posso fazer se é próprio de mim
gritar bom dia ao mundo e ter escorrendo na boca 
um sorriso tão poético assim?

Que posso fazer se minha cama me abraça
no momento em  que a poesia me enlaça
e juntas ficam pertinho de mim?

Que posso fazer se ao abrir a janela
a luz que me abraça é ela,
a poesia cheirando a jasmim...?

Que posso fazer se meu suor
tem poema em seu odor
e a leveza de meus passos 
é poesia temperada com amor?

Que posso fazer se enterneço,
viro menina e não cresço
e poesia tem sido meu doce brinquedo?

Que posso fazer se separo
a mulher da menina e reparo
que a menina é bem mais feliz?

Nada a fazer... só entender
que há pessoas que amadurecem
como frutos nascidos,
e perdem, com o tempo seu sabor e suas cores...

E há os que não amadurecem nunca
pois não nasceram frutos , mas flores!





TRANSPARêNCIA
Enviado por TRANSPARêNCIA em 01/11/2007
Reeditado em 12/11/2009
Código do texto: T719681

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Suavidade). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
TRANSPARêNCIA
Campinas - São Paulo - Brasil
732 textos (39468 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 15:35)
TRANSPARêNCIA