Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Doce paixão

Doce paixão, por que não me deixas
Como nos tempos em que eu te amava?
Teu espelho reflete-se em mim e chama
Os afagos infactíveis de quem jamais
Um beijo por amor pediu.

Mas persiste na doçura. Ouço tua voz
Macia na aurora que desponta; voz suave
Que delineia com todas as sílabas o amor,
E aquele frenético e rápido lampejo
Que me clareava o desejo e enaltecia
O encanto de minha tenra emoção.

Então, curvo-me diante de teu chamado,
Ouço teu nome, parte de ti que ainda guardo
E continua a viver, refletindo em sonoras ondas.
Constrito o amor que te transforma
E te beijo, beijo com intensidade o inexistente.

Amada paixão pervertida, por que não me deixas?
És tão ilusória que um dia se tornará real
Já nem posso dizer se és trevas ou raio de luar
Ou noite que sempre fora, e se em nossa vida
És lembrança de cartas mal escritas no passado.
Sob chamas apagadas que um dia busquei.

Tentei conquistar um dia teu corpo e do olhar
Arrancar com versos rotos o amor que sonhei
Alcançar a felicidade para não mais chorar
Felicidade dum amor platônico solto no tempo.

Queria de ti o que não tinhas para me oferecer,
O amor presente a perseguir-me eternamente
Jamais pensei que depois de tanto tempo fostes voltar
Com a mesma intensidade e meus dias transformar
E me evocar com tanta bondade, doce paixão
Chama ardente, que sem sexo, torna-se amizade.

Tua pressa me consome intensamente.
Tua inverdade em meu rosto se desfaz.
Tua doçura me faz viver muito mais.
Doce paixão, loucura veloz e sagaz.
Beijos procê, menina nascida dos madrigais!
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 06/11/2007
Reeditado em 06/11/2007
Código do texto: T725256
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3137 textos (81529 leituras)
2 e-livros (415 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 09:52)
R J Cardoso

Site do Escritor