Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solidão II


Ilhada em minha própria solidão
A ausência de acordes à minha canção
Penetro em mundos obscuros, imaginários!
Incrédula persigo sonhos mau fadários.

Como um barco com mastro caído
Sigo a correnteza do sonho sofrido
Levada ao léu sem direção
Espasmo a dor do meu coração.

E a delirante insônia me persegue
Faz-me com que por ti não negue
A saudade um desejo nada breve
Imaginar-te em mim naufragado.

Senti-lo impregnado a minhas entranhas
A satisfazer meus desejos e manhas
A embalar-me de amor e emoção
E abraçar-me com ardente paixão.

Imaginar-te como a água de um rio
Que corre por meu corpo a refrescar-me
E eu eterna a mergulhar em tuas águas
E fazeres com que reflita minhas mágoas.

Flor de doce luz que me ilumina
Que trazes na alma a cor que me fascina
Cubra de beijos à espera esta tua menina
Que se abre como as flores ao te receber.


06/11/07

LuliCoutinho
Enviado por LuliCoutinho em 06/11/2007
Reeditado em 06/11/2007
Código do texto: T725467
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
LuliCoutinho
São Paulo - São Paulo - Brasil
863 textos (159065 leituras)
2 áudios (430 audições)
7 e-livros (1313 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 04:05)
LuliCoutinho