Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TEMPESTADE N'ALMA

TEMPESTADE N'ALMA
Jorge Linhaça

Meus gritos mesclam-se ao silêncio
das respostas jamais proferidas.
Tempestade de vento a soçobrar
a nau da minha frágil tranqüilidade.
Sombras que me envolvem enquanto
as gotas frias da chuva invadem meu peito.
O coração é apenas uma chaga aberta,
mutilado, lutando para se recompor.
Massa disforme do que um dia foi belo.
Os raios das mágoas me dilaceram,
rasgam em tiras as membranas,
misturando sangue venoso e arterial.
Os trovões me ensurdecem os ouvidos
do espírito, espoliando-me o raciocínio.
As sombras da dor cegam-me os olhos
já tão cansados de procurar e não ver.
Silêncio...um silêncio inquietador me
envolve...
Cessam os raios e os trovões...
Apenas o salpicar das últimas gotas
de chuva no chão se fazem ouvir.
Imobilidade...o torpor do meu corpo
é o mesmo de minh'alma...a pálida luz
adiante é o que me faz pensar em prosseguir.
Medo...esse medo atroz de me recompor...
de me soerguer e seguir para, adiante,
estar novamente no olho do furacão.
Tempestade...bonança...
Gêmeas xifópagas nascidas do ventre
de minha dor.
Jorge Linhaça
Enviado por Jorge Linhaça em 11/11/2007
Reeditado em 19/04/2012
Código do texto: T733311
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Linhaça
Salvador - Bahia - Brasil, 56 anos
3724 textos (727337 leituras)
95 áudios (13154 audições)
1 e-livros (278 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 14:40)
Jorge Linhaça