Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONFISSÃO l :Após ser resistido

minha alma berra,aos urros
a dor presente
de uma confissão impura.

uma vida,não só
você não sente.

escuto os gritos
da minha alma
entre dentes , gemidos
que ainda fala.

um caminhão
não destruiria tanto.

sofrimento é tão pouco
comparado
aos meus gritos roucos.

um lunático
em correntes.

luto para me soltar
não consigo
algemas me prendem
não prossigo.

Sem Nomes
Enviado por Sem Nomes em 11/11/2007
Reeditado em 20/06/2009
Código do texto: T733394
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sem Nomes
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 29 anos
113 textos (4557 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 05:05)
Sem Nomes