Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Teias do amor

LXI

Acredito que amar é um posto
neste lugar não há desgosto,
sou o profeta pela causa amada
sou o desejo e a parte desejada.
Tenho virtude de muito imaginar
imagino-me num outro lugar
bem alto onde me leva a fantasia
nesta escalada pelos degraus da ousadia.

Minha alma se conforma
todo o meu mundo se transfoma,
nos meus olhos se pode ver
esta agora minha forma de ser.
A fraca fé de que sou feito
estando ao prazer dela sujeito,
fez-me perder o jeito para esquivanças,
caí sem rede, sem seguranças.

Desfalece o que conheço
vive a ideia de um começo
por este amor que me poem louco
e morrer por ele é pouco.
Se me mata não vejo
talvez cegado pelo desejo
só quero estar na outra metade
longe deste clima de saudade,

É mar bravio onde me encontro
ergue-se firme a vontade que tenho
doendo tormentos em ridiuculos orgasmos
cresce a dolorosa em lentos espasmos.
Mesmo que seja apenas pensametos
desta dor que se retorce em inventos,
me entrego-me em pleno a esse dor
ás doces teias que tece o amor.

miguel lopes
miguel lopes
Enviado por miguel lopes em 21/11/2005
Reeditado em 29/12/2006
Código do texto: T74347
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
miguel lopes
Portugal, 33 anos
47 textos (1081 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:30)
miguel lopes