Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Certas horas



   “Toda imprevisibilidade é passível de acertos.
    Na mesma proporção e invariabilidade
    De nossos erros”



Se o amor se passa certas horas
É porque nem sempre esta presente
O amor se extingue ao menor vento.

Mas este mesmo amor
Dobrado feito origami
Largado em uma calçada qualquer
Pode ser relembrado e sentido
E acariciado quando menos se esperar.

O amor certas horas toma-se por esquecido
Mas nunca deixa de ser sentido
O amor se faz anoitecido
Mas nunca estará concluído.

Este amor que não se apaga
Nasce ao nosso aparecimento
O amor nasce em vida
No nosso primeiro segundo.

Ele aprende a chorar por comida
Exige carinho e cuidado
E sossega no seio
Da primeira mulher amada.

Esquece-se
Aprende a falar
E tomado de palavras
Recorre a convocar-se com mais freqüência.

Rompe-se do seio amado
E transfere-se ao seio amigo
Brinca de criança inocente
Mas se instala ao mais querido.

O amor aprende amar
E com isso descobre o corpo
Não mais o próprio mas do próximo.

Não se contendo nesta busca inalcançável
Pergunta-se a todo instante
Se por ventura soube amar.

Certas horas, cala-se
Dói que arde dentro de si
Como flecha envenenada.

Chora a solitária desolação
Da falta do amor que se dá.
O amor comedido não se mede.

E quando se pensa
Que amor é ausente
Ele volta tão presente
Que nem amor parece.

O amor se vive por toda uma vida
Não se mede pois não tem escala
Não se extingue pois não se mata.

O amor sempre presente
Guarda a existência
Para ser desdobrado
Tal pedacinho esquecido
Na calçada qualquer.
Lorenzo Giuliano Ferrari
Enviado por Lorenzo Giuliano Ferrari em 26/11/2007
Código do texto: T753036
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lorenzo Giuliano Ferrari
São Paulo - São Paulo - Brasil, 54 anos
1837 textos (51335 leituras)
1 áudios (2457 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 14:11)
Lorenzo Giuliano Ferrari