Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DE REPENTE O AMOR:


De repente o amor;


De repente o amor...
Que estava escondido, em mim.
Libertou-se, com ele veio a coragem.
Parti para a rua em busca, da mulher.
Dos meus sonhos, sem ao menos querer saber.
Se ela estaria a minha espera, bati em sua porta.
Meu coração queria fugir, me abandonar, pular.
Sair correndo, para eu ir atraz, mas não foi.
Pois a porta abriu-se, agora, quem quase fugiu.
Foi eu, ante aquele sorriso, aquela voz.
Perguntando-me o que eu queria.
Sem dar-lhe tempo, disse tudo.
Falei do meu amor, do meu medo.
Ela me escutava, sem nada dizer.
Eu parecia um bobo, falando, imaginando.
O que ela esperava para me mandar embora.
Mas sua mão disse tudo ao buscar a minha.
Ao me levar para junto dela, sem nada dizer.
Num abraço nos encontramos, nos beijamos.
Hoje nos amamos, de mãos dadas com a vida!







Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 24/11/2005
Código do texto: T75525
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147484 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:22)
Volnei Rijo Braga