Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bruks Coqueluks

Bruks Coqueluks
olhou-me com os olhos
de cigana tardia
falou-me com a voz
que a tosse escondia
que não era minha posse
e que eu deveria
era me enxergar...

e parado fiquei
vendo o que eu faria
se para a libertar
o melhor não seria
deixá-la de amar,
o que eu não poderia
pois àquele pulmão
minha vida eu devia
como à cor de seus olhos
da pele, da boca,
do vestido que usava
da voz quase rouca
dos longos cabelos
voando no vento

como é que vou deixar
de ficar um momento
sem a minha Bruks
Coqueluks, um tormento
que só eu sei curar
pois foi ela quem disse
e eu acreditei
pois não era tolice
e nunca mais deixei
de a aprisionar


Rio, 30/11/2007
Aluizio Rezende
Enviado por Aluizio Rezende em 01/12/2007
Código do texto: T760031

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluizio Rezende
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
6776 textos (146837 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 20:52)