Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mãos

              Mãos

Que afagam, dão carinho, trazem delicias.
Despertam carícias num doce envolvimento,
Quase um deleite, ao se entrelaçarem,
E depois, envolventes, se tocando,
Vão aos poucos trocando mudas sutilezas.

É assim o feitio de formas generosas.
A feminina, macia, sem brutalidades,
Que tocam flores, formando parcerias,
Cúmplices das coisas belas, perfumadas,
E generosas, dão vida, são encantos, deliciam.

Do homem, com ranhuras, machucadas,
Muitas vezes brutas no seu contexto,
Pois no afago ao receberem reciprocidades,
Se descontrolam e mostram suas grosserias,
Por ser viril e não conter as destemperanças.

E da criança, que de tão frágil não se entrelaça,
É sublime quando envolve um doce abraço,
Mãos pequenas qual botão de rosa que desabrocha,
Não se contem quando tateia em busca de carícias,
Pedindo colo da mamãezinha atarefada que acode.

Mãos que suplicam aos Céus nas tristes incertezas,
Precisam de outras para ampararem suas angústias,
E depois, quando se acalmam das tempestades,
Demonstram carinho ao apertarem em soluços,
Aquelas que socorreram em suas horas aflitivas.

Jairo Valio
Jairo Valio
Enviado por Jairo Valio em 04/12/2007
Código do texto: T765119

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jairo Valio
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 82 anos
518 textos (41100 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 01:26)
Jairo Valio