Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ninguém soube

Voce veio
pronto para resistir a piedade
veio pronto para resistir a choros e promessas,
veio pronto para quase tudo,
menos para o que aconteceu.
Mas mesmo assim saiu covardemente altivo, nojento e sujo.
Aceitou e virou as costas, você tem certeza que se saiu bem,
mas ainda sinto nojo do seu mel,
com o qual lambuzou minha vida e o meu coração.
Sinceramente não sei como sai tão bem,
tão inatingível.
Devo a mim mesma palmas por não deixar consumir pela dor que você se empenhou em me causar.
Sua altivez me da asco
construida pela inveja e ciumes
Seu amor próprio foi moldado pela mesquinhez.
De tão altivo foi covarde demais.
Você não sabe se chorei, e tenho orgulho de dizer
que fraquejei muito pouco,
quase nada,
e ninguém soube.
Apoena Baquara
Enviado por Apoena Baquara em 05/12/2007
Reeditado em 09/06/2008
Código do texto: T765259

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Apoena Baquara
Assis - São Paulo - Brasil, 28 anos
55 textos (7247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 05:31)
Apoena Baquara