Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

***DE SAUDADES EU MORREREI***

***DE SAUDADES EU MORREREI***

 

 

Olho-me no espelho

No assistente do tempo

Vejo-me quando menina

Cheia de sonhos pequeninos

 

Se eu pudesse voltar a nascer

Seria eu o seu sonho nesta vida

Que por mim um dia tanto sonhou,

E só agora eu vejo o quanto você me amou...

 

Neste tempo eu sonhava

Eu tinha tudo, e quase nada.

Era coisa de criança

Que vivia apaixonada

 

Eu dizia para ti...Doce menino

Sonhava em um dia ser adulta

Ficar olhando o sol fugir de amarelo,

E namorar contigo na janela

 

Minha voz na voz do vento

Buscando longe seus pensamentos

Seria tão bom neste momento

Se você estivesse comigo nos pensamentos

 

Saio na busca de seus rastros

E vejo suas pegadas no chão

Eu me perco nestes passos

Que vem de encontro com o meu coração

 

Ai amor, de saudades eu morrerei.

Perdida estou procurando por você

Neste chão sem dono não sou ninguém

Se o mundo não devolver a quem tanto amei...

 

Buscarei o seu amor

Voando alto na voz do vento

Silencioso mistério oculto

Que levou meus pensamentos

 

E os poemas que lhe dedico

São pedacinhos de minha alma

Eu me perco nos teus passos

Que vem de encontro com meu coração

 

Ai, meu doce pecado,

Tanto tenho contigo sonhado.

Que me encontro em delírios

Na reta final dos sonhos.

 

 

 

Autora Nadir Vilela

(direitos autorais reservados)

Em 02-11-2005 Brasil-Itatiaia-Penedo

 

Nadir Vilela Poetisa
Enviado por Nadir Vilela Poetisa em 10/12/2005
Código do texto: T83768

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nadir Vilela Poetisa
Itatiaia - Rio de Janeiro - Brasil, 52 anos
572 textos (84739 leituras)
63 áudios (23024 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:22)
Nadir Vilela Poetisa