Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0529 - Sol



Este é meu derradeiro passo em direção ao sol,
falta meu pé esquerdo que parou na esquina,
meus pecados não são graves, foram por amor,
eu - homem - descansarei quando para outra vida passar.

Meus sentimentos acompanham meu rosto,
tem horas que não me sinto humano,
as mãos padecem por falta de carinhos,
em um canto guardei a paixão, toda ela, toda!

Plantei flores em um peito quase vazio,
nasceu algum amor, não o bastante, reguei carinho,
revirei a terra da paixão que adormecia
em um profundo sono de amores separados.

Recuperei alguns pensamentos que estavam esquecidos,
reformulei sentimentos que jamais mostrei,
gritei para dentro do meu peito desfeito de razão,
da minha existência posso ser sol, último amante.

13/12/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 13/12/2005
Código do texto: T85269
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116252 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:23)
Caio Lucas