Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0537 - Pecador



Alimento minha alma dos desejos de ti,
por hoje deixarei uma lágrima cair, só hoje,
são pequenas as lembranças que voam até o céu,
um dia seguirei junto com minha razão.

Preciso de outros sonhos que não os meus,
um trilhar sem planos, sem destino,
jurando o mesmo amor que sempre amei,
voltando a cada dia para o mesmo coração que amo.

Deixo que a lua me oriente nesta minha última jornada,
após tudo, quebra-me as asas, jamais usarei,
ignoro alguns pedaços de minha vida, por ser tua,
até que um dia voltarei a ser teu, somente teu.

Parei minha vida entre um e outro sol, por ti,
voltei os mesmos caminhos que um dia reneguei,
falei de amor, incontestável, ridículo e suave,
teu corpo, um mundo de luz deliciosamente sedutor.

Tentarei traduzir nossas noites, os amores distribuídos,
espalhado pelo corpo suado depois de fazer amor,
teus olhos orientando-me o caminho entre curvas,
entre pêlos e poros inundados da mais pura paixão.

Corro  risco de nunca sonhar, de não mais adormecer,
ter em teus braços um abrigo permanente e eterno,
vestido de verdades dividiremos cada sopro de vida,
até que um dia novos sentidos me roubem a alma.

Deixo que minha luz penetre teu corpo nu,
deixe que atravesse a paixão por todos os lados,
que deseje teu o meu desejo mais impuro,
até que a luz se apague dos meus olhos pecadores.

19/12/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 19/12/2005
Código do texto: T88235
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116253 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 11:51)
Caio Lucas