Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O poema de todos

Que a rima destes versos, pela probreza,
Não lhe cause estranheza.
Da métrica sou leigo
Embora tenha tido noção.
Tento ser meigo,
Querendo falar do Amor,
Lembro-me da dor
E também do coração.
Talvez, para uns, amor e dor
Formem grande combinação.
Para outros não.

Mas, alegrando a vida
O coração pulsa com amor,
Enquanto nos aperta o peito
qualquer tipo de dor.

Dor essa latejante
Que em um coração pulsante
Anseia de verdade
Amar com carinho e intensidade
Com muita vibração

Vibrando como as cordas de um violão
Levando música para a alma
Música que traduz o amor e a dor
Tal qual sentimos no coração
E nos trazem esperanças e sonhos
Esperança de um mundo justo
E sonho de liberdade
Como uma simples canção

Canção com poucas notas
Que soa, que encanta
Em sua pura simplicidade
As tristezas espanta
Com sua meiga sintonia
Sem métrica, sem regras
Vibra com forte energia
E mantém as portas sempre abertas

E música se faz assim
Com pureza, carinho e afeto
E eu dedico o meu simples verso
Ao amigo Zé Roberto.

(Estrofes, respectivamente, de autoria de Luiz Coronheiro, do Repolho, Zé Roberto, da Lica, da Gabi e do Max Gasperazzo&Lú, membros da Comunidade Espaço da Escrita da rede de relacionamentos 1Grau)
Luiz Coronheiro
Enviado por Luiz Coronheiro em 27/12/2005
Reeditado em 16/02/2006
Código do texto: T90890
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Coronheiro
Guara I - Distrito Federal - Brasil, 52 anos
9 textos (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:40)
Luiz Coronheiro