Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VEM, ABRAÇA-ME COM TERNURA

Vem, porque a espera é tortura,
Que abala o cerne da criatura
Fazendo desmoronar a estrutura.

Vem, segura forte a minha mão,
A tremer pela grande emoção
Da tua presença depois da separação.

Vem, acalma o teu coração,
Pois no meu só existe o perdão
Que mudará a nossa situação,

De almas perdidas no escuro
Para dois que vivem um amor puro,
Porque te amo muito, eu juro.

Vem, abraça-me com ternura,
Põe, no teu beijo, toda loucura,
Renova, do sentimento, a jura,

Que fez a tua boca exaltada,
Na alcova, onde eu arrebatada,
Bebi, dos teus lábios, o mel esfaimada.

17/02/04.
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 01/04/2005
Código do texto: T9098

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Hilda de Jesus Alão
Santos - São Paulo - Brasil
848 textos (343298 leituras)
19 áudios (10580 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 04:56)
Maria Hilda de Jesus Alão