Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gozo simples, amor vago


 
Amanhã não tem lua, não tem sol,
não tem amor,
a paixão morreu enquanto dormia,
os fantasmas tomaram conta de você,
continuo impaciente, então espero,
é assim minha maluca solidão.
 
Sou a meia-noite inteira,
sedento, ardendo de abandono e amor,
preciso envolver meu corpo,
te segurar ao redor como asas de pássaros,
com os sonhos aprender a voar,
em um minuto, depois, nunca mais voltar.
 
Logo vai a madrugada, o sol levanta,
acordo dos meus desejos tanto sonhados,
a lembrança do sorriso me perturba,
movimento todos os músculos do coração;
descontrolado, não te sinto, não te vejo,
algumas fantasias não se vão, as vontades ficam.
 
Não quero o depois da paixão,
preciso de delicadeza, dos tantos carinhos,
mãos, beijos, abraços, línguas,
noite inteira, não metades de noites,
a pele não esfria no meio, o tesão não vai,
o amanhecer tem que ser suave, forte, vivo.
 
Busco as portas, as entradas para sair,
não quero paixão pálida e solidão rubra,
procuro sentimentos, outros, novos, sensíveis,
meus olhos ainda estão entreabertos para o amor,
quero habitar, ser prisioneiro, seu, da paixão,
ainda sinto o gozo simples e o amor vago.
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 01/01/2006
Código do texto: T93176
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116251 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:16)
Caio Lucas