Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sinfonia de Um Poeta Em Silêncio

Palavras mudas
Num recital de silêncio
Onde o som não vibra
 
Ondas repetidas de amor
Sem palavras que definam
Lacônicas
Carregadas, imensas, imersas.
Sentimentos
 
No vazio preenchido
No impulso desmedido
Palavras afônicas
Que se remansam no peito doído
 
Do poeta com olhar distante
Lá no horizonte avermelhado
Sentado com um pedaço amassado de papel riscado
preenchido por letras garranchadas
Como ervas daninhas que sobem as paredes
 
E mudo como o silêncio
Olhar vazio
De quem perdeu
Ou nunca teve
O amor recitado
Nos garranchos daquele papel
 
O poeta se ergue
Caminha em sua varanda
Respira
E deixa cair no chão seus garranchos
Com a mesma mudez que ele os escreveu
Na sinfonia silenciosa
Do seu mais íntimo pensamento
 
E a poesia se perde
Junto às macegas tão secas que estalam com o vento
Que de tão quente faz rachar até o último sentimento
Do poeta perdido em seu silêncio


PUBLICADO NO LIVRO ANTOLOGIA ESCRITORES BRASILEIROS EDIÇÃO 2006, PÁGINA 121.
Priscilia Nascimento
Enviado por Priscilia Nascimento em 06/01/2006
Reeditado em 06/01/2006
Código do texto: T95220
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Priscilia Nascimento
Recife - Pernambuco - Brasil, 35 anos
222 textos (24433 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:47)
Priscilia Nascimento