Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TREM:


O trem:


À noite...
Chegou escura e fria.
A lua nem sequer apareceu
A brisa soprava gelada
Eu tremi quando cheguei a rua
Quis voltar, mas, já não podia.
Agora eu tinha que seguir em frente
Era tarde para arrependimentos
Eu te queria, tinha que ir busca-la.
Não importava o frio, ou a brisa gelada.
Nem a chuva fina que começava a cair
O que importava era, eu encontra-la.
Pois, ela estava partindo no ultimo trem.
Corri para estação, já eram meia-noite.
Um apito me disse, que já era tarde.
O trem já estava partindo.
Mesmo assim eu corri para lá.
Apenas um vulto de pé, na plataforma.
Esperava por mim, corri em sua direção.
Ela jogou-se em meus braços soluçando.
Eu beijei seus lábios, seus olhos enxuguei.
O trem lá ao longe, apitava triste.
Pois, havia partido sem levar meu amor!



Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 15/01/2006
Código do texto: T98994
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147480 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:54)
Volnei Rijo Braga