Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O POETA...

Quem disse que o Poeta só escreve embriagado.
Talvez não esteja enganado.
Embriaguez de algum amor.
Ou se já lá como for.
E nas horas da madrugada.
Ou nos requintes do bar.
Vem o Poeta carente.
Algo tal qual ausente.
Entediado da gente.
Com certas frases da vida.
Chamando a todas de querida.
Deve ser embriaguez.
De amor talvez.
Ou mesmo da tal razão.
Nome feio ao coração.
Coitado.
Batendo um tanto desesperado.
E até descompassado.
Pobre, só e atormentado.
E o Poeta sempre está embriago.
E em dado e curto momento.
Lhe vem então a lucidez.
Que espanta gatunamente.
Porque o Poeta carente.
Prefere mesmo a embriaguez.
O Guardião
Enviado por O Guardião em 26/07/2006
Reeditado em 26/07/2006
Código do texto: T202125
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
O Guardião
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
364 textos (34441 leituras)
13 áudios (2409 audições)
2 e-livros (1988 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:44)
O Guardião