Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os teus olhos

Olhos que clamam
são olhos que amam
que descobrem o inconsciente
olhos de sabor indecente.
Olhos de luz
reflexos sonolentos da lua
que mal dorme durante o dia e,
ainda à noite,
acorda de acordo com a paz.

Olhos tristes
olhos de verdade
das tuas verdades
das mentiras que acreditas serem reais
das verdades sem certeza
das mentiras das verdades
sem maldade
sem piedade.

Olhos que ferem a quem penetra
que desnudam a quem observa
que dissecam a anatomia
de quem deles se escondem.
Olhos que buscam e de quem não fujo.
E só não fujo
porque te quero
por teus lindos olhos.

Olhos de serpente
Olhos de menina
Olhos que desprezam triste sina
Olhos que adormecem na retina.
Olhos que viram dores
que adoram abraços
que dançam
espantam e caçam.

Olhos que me admiram
que me molham
que me atraem
porém se vão...
vão não sei aonde
vão, pois vêm de longe
de um caminho que nem há.

Mas o que existe?

Os teus olhos!
Olhos de bom dia!
De até logo!
Olhos que não voltam...
que não dizem boa noite!
Olhos que beijam,
que batem,
que amam,
que partem...
Olhos de nunca mais
num olhar de quero mais!
Nel de Moraes
Enviado por Nel de Moraes em 27/06/2005
Código do texto: T28322

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.neldemoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nel de Moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
407 textos (351720 leituras)
2 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:28)
Nel de Moraes