Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Comarca

Poema dedicado a Sericita, minha terra natal


Em Sericita vivi alguns anos.
Em Abre Campo talvez nenhum.
Nasci principalmente em Abre Campo
Por isso sou alegre, feliz: de café com leite.
Cinqüenta por cento de leite.
Nas aparições cem por cento de café com leite .
E esse afastamento do que na vida é alvura e alento.

Vem de Sericita essa vontade de amar, que me vitaliza o trabalho,
Vem de Sericita, de suas manhãs doiradas, senhora sem perspectiva.
E essa tradição de amar, que tanto me satisfaz,
Sericita é amável herança.

Trouxe de Sericita adereços para te oferecer:
Réplicas das esculturas do mestre Aleijadinho:
Este resto de lenha desidratada na lareira decorativa, que meu tio cortou:
Este amor-próprio, esta cabeça erguida...

Não tive ouro, nem prata, gado, nem fazendas.
Hoje sou nada além de excelente ser humano.
De Sericita guardo apenas uma foto amarelada na lembrança
Mas como me dilacera o coração!
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 19/11/2006
Reeditado em 21/11/2006
Código do texto: T295448
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79565 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:17)
R J Cardoso