Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solano trindade, poeta de resistência

“Na minh'alma ficou/ o samba/ o batuque/ o bamboleio/ e o desejo de libertação...” (Solano Trindade, Sou Negro)

............

Não se fez manso nem mudo
Abriu seu canto
À possibilidade de mudança
Essa dança difícil
nesse País
que tropeça na injustiça
e não anda

Com a dor passada presente
Fortaleceu seu alicerce
Armou-se das artes
E da força acumulada da raça
Fez-se poeta da negritude
desse nosso Brasil

Das histórias coletadas
Fez seu grito contra as injustiças
a fome
e o mando senhoril

Do sal da terra arrancou o tempero
dos seus versos
e plantou suas sementes de coragem
Seu nome: Solano Trindade
Poeta de poucas rimas
e resistência total

O firme aríete de seus versos
ainda bate firme na porta dos desmandos seculares
do preconceito
dos defeitos desta pátria
que não dá direitos a todos

Sua insistente poesia é lição
concreto
seta
forte
povo
direção
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 21/11/2006
Reeditado em 24/11/2006
Código do texto: T297452

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32927 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:33)