Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os olhos de Nalva
Ao abrir seus olhos de mel,
uma réstia de luz brilha tão alva,
e se confundem no imenso céu,
os lânguidos olhos de Nalva.

E ao pairarem no mar sereno,
e guiarem a estrela D’alva,
percorrem o vale de azul ameno,
os sedutores olhos de Nalva.

Ao erigirem-se tão cândidos à lua,
e rolarem na colina calva,
repousam na mata nua,
os misteriosos olhos de Nalva.

E ao deitarem-se na relva úmida,
e entorpecerem-se no olor de malva,
fecham-se na noite túrgida,
os cintilantes olhos de Nalva.
Alaide Santos
Enviado por Alaide Santos em 26/08/2005
Reeditado em 29/08/2005
Código do texto: T45337
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alaide Santos
São Paulo - São Paulo - Brasil
58 textos (5165 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/04/17 21:45)
Alaide Santos