Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A luz de teus olhos.

Revestido de saudade,
os meus pensamentos,
um a um; guardei-os,
somente os belos momentos,
pois os sujos; incontestes... Desprezei-los.

Fingi lágrimas pela face
e despudorei palavras...
Minhas, suas, nossas,
tornei-as torpes escravas,
num grande alicerce de amarguras.

Rebusquei nostalgias flácidas
e entornei antidepressivo,
curando-as uma a uma.
Instantes lascivos... Nocivos... Depressivos...
Por sobre ombro...  Esquecidos!

Segui  passo ante passo,
mirando um anjo (psicóloga) iluminado.
Refiz meu compasso,
na fonte reluzente... Revitalizado
e descobri-lo em terno remanso.

Conservando a paz encontrada,
urge a inspiração com destreza,
anseio com a alma renovada
e sem meandro; resplandece a beleza,
outrora tão almejada.

Ontem, estive cativo de muitas dores,
perambulei perdido, descontrolado,
entregue ao ócio e aos dissabores.
Um ex-cativo agora libertado,
pela luz de teus olhos.

Hoje, volto minha face ao doce anjo,
com seus olhos verdes e vibrantes.
Sou poesia em suave floreio,
sou fantasia, alegria, devaneio
e a Ela reverencio... Triunfante.


(made in Insônia, am 01:42h) 11/09/2007 SP.

Dedicado à psicóloga Fernanda Helena Guimarães.
Sandro Colibri
Enviado por Sandro Colibri em 11/09/2007
Código do texto: T648237
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sandro Colibri
São Paulo - São Paulo - Brasil, 45 anos
527 textos (53630 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 09:50)
Sandro Colibri