Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O poeta e a menina triste

            A paixão corroia-me os ossos,
            terrível no coração meu;
            para tê-la nunca fiz esforços,
            por isso nunca fui seu.

            Desiludido, conheci o breu,
            escuro como os cabelos da menina alva
            de cujas lágrimas por quem não mereceu nasceu
            um afeto pela brava.

.           Adjetivo este merecedor,
            pois, para quem com um pai boêmio sofreu
            desolação, canalhices e mais dor,
            ser só posso querer seu.


                       H. P. Simões
Hugo Proença Simões Eu
Enviado por Hugo Proença Simões Eu em 16/09/2007
Reeditado em 27/01/2008
Código do texto: T655284

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hugo Proença Simões Eu
Fortaleza - Ceará - Brasil, 30 anos
1181 textos (15998 leituras)
19 áudios (158 audições)
16 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 13:01)
Hugo Proença Simões Eu