Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRIETO:Fada das Letras,Denise &Carlos_Um tema bem simples

Um Tema bem simples

Eu queria compor um terno e simples poema,
Que a todos vós, fizesse sorrir ao recordar...
Pois que tivesse nossa infância como tema,
E nos desse alegria para de novo brincar...

Queria relembrar os caminhos para a escola,
No inverno pelos trilhos das geladas florestas,
Os cadernos, e o lanche guardados na sacola,
Os tropeços nas pedras duras de vivas arestas.

Mas no tempo distante, travessas lembranças
Fazem parte de um passado de vãs esperanças,
Pois ainda guardo comigo tais sonhos infantis...

Viajar pelo mundo, conhecer lugares distantes,
Das antigas civilizações as ruínas fascinantes,
Ser escritora, poeta, arquéologa, desejos pueris.

Arlete Piedade
 
 UM TEMA BEM SIMPLES

Quis escrever um verso
Que fosse simples, mas completo
De fácil entendimento e confesso
Que de amor estará repleto

Diz quem não entende de sentimento,
Que amor está fora de moda
Não creio em tal pensamento
Quero amar a vida toda

Um tema bem simples na poesia
Faz do poeta um pintor
Na tela de vida, desenha magia
Com luzes, encanto e muita cor

Palavras doces,gentis, educadas
Satisfaz a um leitor qualquer
Amor é resumo de emoções aladas
No homem, criança ou mulher

Denise Severgnini
Novo Hamburgo /RS
06/11/2005
 
 UM TEMA BEM SIMPLES

   O dia em que escrevi este pequeno verso,
   Recordei dos dias felizes da minha infância,
   dias que até hoje deixam saudade,
   Quando na frente da minha casa podia brincar,
   E inventei um mundo que acreditava ser de verdade.
   Quando era apenas uma criança esse lugar era meu universo.

   Lembro bem de todas aquelas flores,
   que davam vida a um imenso jardim,
   daqueles pássaros que voavam no céu que eram de todas as cores...
   Eram tantos os brinquedos que na hora de brincar
   eu podia pegar e escolher o que mais viesse a me  agradar.

    Mas um dia esse mundo tive de deixar,
   porque não seria para sempre uma criança,
   mas deste mundinho que criei quando menino resta-me
   somente uma fagulha de lembrança.
   E lembro que nesse universo podia sonhar,
   quem sabe até escrever um versinho.
   Em cada uma daquelas árvores havia um ninho,
   Ode tinha mais de um filhote de passarinho.

    Hoje depois de tanto tempo criei um outro mundo,
   este que pode ser visitado a qualquer dia,
   é ele o  meu mundo chamado poesia.
   Em cada verso eu dou asas a minha imaginação,
   Nunca deixando de fora uma gotinha de esperança,
   relembrando aquela época feliz, quando eu era criança.

       Carlos  Boscacci

    POA, 6/11/05

 

 
Denise Severgnini
Enviado por Denise Severgnini em 06/11/2005
Código do texto: T68130

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Denise de Souza Severgnini http://www.denisesevergnini.recantodasletras.com.br) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Denise Severgnini
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 57 anos
11345 textos (916742 leituras)
16 áudios (8882 audições)
311 e-livros (34110 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 09:59)
Denise Severgnini