Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ode a Cervantes



ODE A CERVANTES


Não posso escrever um verso,
Sobre a Espanha progressista,
Sem pensar no tempo inverso,
Da Espanha ativista.

Dar valor a quem venceu,
Entre letras e falares,
É lembrar de quem nasceu,
Em Alcalá de Henares.

Humanista de presença,
E de grandes ideais,
Conheceu a renascença,
Os éticos, muito mais.

Sem jamais temer por perda,
Na batalha de Lepanto,
Ficou sem a mão esquerda,
Quando ainda era infanto.

Na Argélia confinado,
Cinco anos, em recluso,
Pra Portugal foi mandado,
Conhecendo o povo luso.

Depois detido em Sevilha,
Por suspeição de cangancha,
Inicia, o bandurrilha,
Dom Quixote de La Mancha.

Dom Quixote e Sancho Pança,
Seus extremos sentimentos,
Mantiveram a esperança,
Na vida, em todos momentos.

Há, quase quinhentos anos,
Andou na terra, tristonho,
Mas entre seus desenganos,
Mais forte foi o seu sonho.

Merecendo estar na êxedra,
Dessa língua castelhana,
Miguel Cervantes Saavedra,
É orgulho, da Espanha.












Condorcet Aranha
Enviado por Condorcet Aranha em 11/11/2005
Código do texto: T70315

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Condorcet Aranha
Joinville - Santa Catarina - Brasil, 76 anos
106 textos (14595 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:50)
Condorcet Aranha