Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU AMIGO CARROCEIRO

Lá vai o carroceiro, trabalha o dia inteiro
Juntando lata, ferro, alumínio papelão...
Tanto esforço, por tão pouco dinheiro
Mas esse é o seu ganha pão

Revirando lixo, não se veste com capricho
Chega  mesmo a cheirar à catinga
Uns passam olham, como se fossem bicho
Os criticam por beber sua pinga

Andam pela cidade, sem identidade
Nem se lembram do seu passado
Futuro é duvidoso, presente é a realidade
Vive solitário, ébrio, amargurado

De repente vem a morte, muda toda sua sorte
O anjo de Deus os leva para o céu
Muitas vezes não há quem se importe
Porque era apenas um pobre catador de papel.

Dedicado aos carroceiros que perambulam pelos grandes centros puxando suas carroças carregadas com aquilo que nós consideramos lixo. Isso me lembra uma frase que ouvi há muito tempo atrás e que agora compreendo com clareza: "O que é lixo para alguns é OURO para outros"
Edil Franci
Enviado por Edil Franci em 24/11/2007
Código do texto: T750341

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Edil Franci e o site www.recantodasletras.uol.com.br/autores/edilfranci). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edil Franci
São Paulo - São Paulo - Brasil
903 textos (74476 leituras)
2 e-livros (120 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 10:20)
Edil Franci