Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aos poetas do recanto

                                Não sorri o bastante
                 Por isso esse verso molhado
                                               Que me lubrifica os olhos
                        E baila sem graça
                                                 Pelo charco das retinas
         Mas não se verte
                                      Antes diverte
       Querências que não me quiseram
                                                    A palavra engasgada
                    O grito em nó de gravata
                                           Apertado na garganta
     Como desfazer?
                      Talvez um sorriso de criança
                                            Quem sabe, a lambida de um cão?
          A alma ressecada
                                  Exposta no varal
     Sob um sol escaldante!
                                                    A saárica sede
                           E nenhum oásis
                                           A não ser este
                            Onde entrego minha poesia.
Aldo Guerra
Enviado por Aldo Guerra em 22/12/2005
Reeditado em 13/02/2011
Código do texto: T89223
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldo Guerra
Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
296 textos (26100 leituras)
3 áudios (490 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:11)
Aldo Guerra