Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NAS RIBEIRAS DO ALENTEJO




Ó gajo da basta cabeleira
Olhas a tua beira, vês mais
Do que teus olhos dizem

Sentas á esteira, vibres com o sol
Deixa a luz do arrebol.
 Acariciar teu coração

Ó gajo da basta cabeleira
Porque fazes a besteira
De entristecer um coração
De uma flor doce e cheirosa
Tão meiga de doce rosa
A mais linda da estação


Nas ribeiras do Alentejo
Vês mais que percevejos
Deixas de ser tão andejo
Deixas-te tomar pelo desejo
Ó gajo da basta cabeleira!


Denise




Denise Severgnini
Enviado por Denise Severgnini em 22/12/2005
Código do texto: T89543

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Denise de Souza Severgnini http://www.denisesevergnini.recantodasletras.com.br) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Denise Severgnini
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 57 anos
11345 textos (916690 leituras)
16 áudios (8882 audições)
311 e-livros (34109 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:39)
Denise Severgnini