Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gravidade do salto

Na rua deserta
Casas simples ao céu gigante
Subo num monte de areia ao balançar das árvores
Salto com muita força
Passo perto dos fios
Vou caindo lentamente
Acho que sou uma pena
Leveza da pena
Caindo e derramando-se
Caiu e me derramo
Não há pedras aqui
A areia é melhor que minha cama
Pois areia é real
É da raiz universal
Não tem idade
Sinto cheiro expelido das plantas
Depois de flutar-me
Estou deitado no chão
Olhando o sol que não me cega
Como uma foto bem tirada
Não há carros, nem pessoas
Existe apenas o presente
E espero que
Eternamente exista apenas o presente
Sem futuro ansioso
Sinto o aroma das plantas
Plantas semelhantes ao azedo
Da fruta que comi
Extrahumano
Enviado por Extrahumano em 01/02/2006
Código do texto: T106911
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Extrahumano
África do Sul, 27 anos
10 textos (320 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 15:00)
Extrahumano