Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU GRITO DE PAZ


Olho com tristeza para o mundo
e vejo nas faces dos meus irmãos,
só ódio,egoísmo, ganância e desunião.
E de tanto ouvirem o explodir de bombas,
meus ouvidos feridos, já se tornaram surdos.

Meu grito aflito ecoa pela Terra
implorando a paz, tentando calar as guerras,
mas, misturando-se aos gritos de morte e de dor
que vão lavando de sangue a nossa Pátria, o nosso mundo,
o meu grito abafado, sufocado, fica mudo!

Minhas mãos que se elevam à Deus
em preces e clamor,
implorando misericórdia ao nosso Criador,
mal conseguem terminar sua oração
pois abrem-se estendidas,
para amparar o irmão que cai sem vida.

E os meu olhos marejados de aflição,
no anseio de levar paz aos corações
e não conseguindo acalmar
tantos gritos e tanta dor,
misturam-se ao som sinistro
daquela orquestra de prantos,
e continuam clamando pela paz
bebendo o gosto amargo do seu pranto.

Nosso mundo está necessitado de paz,
mas os corações dos homens estão doentes,
contaminados e feridos pelo desamor e pela ambição
eles parecem cegos, surdos ,
e não vêem que a paz está tão perto de suas vidas,
se eles nas mãos de Deus segurassem
e  fizessem Dele, sua eterna guarida!

            florzinha



florzinha
Enviado por florzinha em 08/09/2006
Código do texto: T235349
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Socorro Teixeira de Castro ( Flozinha)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
florzinha
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 64 anos
4138 textos (1194945 leituras)
5 e-livros (3402 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:19)
florzinha