Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PLANTAR AMANHÃS

É preciso botar a mão na massa
e fabricar o pão da união fraterna.
Escrever no muro, nas mentes, nos medos;
meter os dedos na ferida.
Abrir a boca, o verbo, o verso e o inverso;
fazer da vida mais que rimas.
Mais abraço, contato...

Braço a braço, abrir espaço,
fazer o ninho, o berço, o lar para todos.
Do nosso mais distante amigo
ao inimigo próximo, perdão.
Como Cristo amar a unidade,
como um taoista, ver o ying e yang em tudo.
Unir cantos, em cântaros, cantar;
alargar a festa e abrir a cortina.
Botar a massa na praça, na rua
para ver o luar e o sol
e o suor ver escorrer dos rostos na dança.

O gosto da vida é ter emoção,
cruzar com gente, ver gente, olhar gente.
Dar passos em direção à ALEGRIA
abrir portas, janelas, olhares,
bocas e horizontes.
Subir aos montes, edifícios, fincar bandeiras vivas,
gente de paz, de glórias a edificar.
Fazer história, plantar amanhãs
e, em uníssono, cantar a vitória.


cp-araujo@uol.com.br
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 12/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T33349

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32927 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:52)