Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Devaneio


Acordei. Não sei quanto tempo dormi, mas parece que foi tão pouco. Acho que sonhei com você, mas não tenho certeza.

Teu rosto era o mesmo que eu vi dia desses, com aqueles olhos amendoados que não paravam de olhar nos meus e deixavam-me assim, todo encabulado. Teu olhar sorriu pra mim de uma maneira que nenhum outro já tenha feito.

O vestido que você usava era de uma cor tão viva que fiquei em dúvida se era vermelho com flores da mesma cor ou o contrário. Isso me fez recordar que eu nunca te vi usando vestido.

Você falou comigo, mas nem prestei atenção. Estava como que anestesiado fitando estático o mover dos teus lábios, cujos movimentos pareciam me chamar para si num convite implícito no teu sorriso lindo.

De repente, percebi que estávamos na varanda da tua casa onde outrora trocávamos tantas palavras apaixonadas. Tão apaixonadas quanto os beijos apaixonados que trocáramos na varanda da tua casa. E enquanto eu sonhava, hipnotizado que estava, beijei tua boca que, ainda tão rubra e macia, estava ávida como estava a minha de saudade dos beijos apaixonados (aqueles na varanda da tua casa). Eu te beijei com a mesma paixão contida nas palavras que eu te falava (na varanda da tua casa).

Minhas mãos, enciumadas pelos meus lábios que te tocavam, passaram a buscar teu corpo com sofreguidão. E ao encontrá-lo, detiveram-se nele com a pressa de quem acredita ter alcançado a eternidade. Acariciaram-no, todo ele, com a meticulosidade de quem lê em braile, sentindo toda a suavidade que dele emanava.

Então você repousou a cabeça em meu colo e eu passava minhas mãos ainda sedentas de você naqueles teus cabelos tão cheirosos e macios que eram. Tão negros quanto uma noite sem luar. E ainda tinham as mesmas ondas que tem o mar. E ficamos assim, quietinhos, até não sei quando. Ainda estou lá com você agora. Ou será que estou aqui escrevendo pra você? Estou me sentindo estranho. Estranhamente estranho. Não sei dizer se ainda durmo, pois tua imagem tão nítida a minha frente me faz duvidar que tudo seja um sonho. Será que estou sonhando acordado? Acho que ainda estou dormindo, mas não tenho certeza.

Flávio Sant'Ana Lopes
15/08/2005
Flávio Sant Ana Lopes
Enviado por Flávio Sant Ana Lopes em 25/01/2006
Código do texto: T103667
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Flávio Sant Ana Lopes
Vilhena - Rondônia - Brasil, 44 anos
45 textos (2566 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:31)
Flávio Sant Ana Lopes