Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHICO BARBEIRO 

Tudo aconteceu ontem...
O tombo da goiabeira
a vitamina de abacate
a sina da família: a velha caixa de "engraxate"
o ribeirão a cachoeira
o grande "chico barbeiro"
e o peso da tua poesia.
A tua história (estórias de pescador):
carpinteiro, pescador, trovador
contador de estórias de barbearia.

Tudo aconteceu muito rápido...
minha vida, infância...juventude...casamento, filhos.
Eu, seguindo sempre os mesmos trilhos
e a tua filosofia.

Resta em mim
teu retrato amigo
tua imagem severa
daquele que levou a vida que pudera
esmerilhando palavras
sobre uma cidade calada.
Não te direi adeus nem nada
apenas acompanho o vento e a tua ausência,
apenas lembranças
do chico barbeiro e teu cavaquinho
apenas tua alma
que se eternizou em meu caminho.

Você agora é só saudades!
Saudade é muito pouco
é quase nada
na verdade, você agora
é tudo que faltava.
Você está em meus versos, em minha vida
em minhas ambições
Você está no aperfeiçoamento das lições,
no silêncio da disputa,
nas brincadeiras e canções.

Você é mais que um retrato na parede
é mais que uma xícara que quebrara na cozinha
tudo foi ontem, tudo é passado
mas ainda resta o teu bom senso
ainda impera o teu reinado.
Você é mais do que lembranças
(do pescador com sua rede)
e
eu, mais do que te amo,
te imagino eterno
num lugar multicolorido e calmo
de onde se vê todo o horizonte terrestre
admirando o belo, ouvindo salmo
cuidando da alma
família, mulher, filhos, espírito
imortalidade.

Permaneça assim, pai
pousado na imortalidade
reconhecido por todos na cidade
ou
pelo menos por nós que se completamos em tua saudade.

Permaneça onde estás
no azul da aura que te beija
no prateado do brilho que te ensejas
espere por mim
pelos nossos breves encontros
espere pela poesia
pelos versos que estarão prontos
...espere pela minha morte lá pelos fins dos meus dias.

Não discuto com o tempo
apenas prossigo,
devagar.
Cedo ou tarde
chegarei por lá
sem pressa...
sou de Guará.

Tudo foi breve,
o viver
o amanhecer
e o morrer...
Tudo
foi mais veloz que o destino:
o chico... o barbeiro... o violino
tudo foi pra nunca mais...
__ sobrou meus sonhos de menino!


WILDON LOPES

Homenagem ao meu pai: "CHICO BARBEIRO"
21/05/2004


WILDON LOPES
Enviado por WILDON LOPES em 10/06/2006
Reeditado em 18/06/2006
Código do texto: T173074
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de AVIENLYW e o site www.wildon.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
WILDON LOPES
São Paulo - São Paulo - Brasil, 57 anos
269 textos (14476 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:45)
WILDON LOPES

Site do Escritor