Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No calor da invernia

Quando  o frio bateu em minha janela,
fez-se d’enlevo tão sublime meu dormir
qu’enfeitiçad'acordei em garça singela,
brotando um eterno e suave prosseguir!

Eu sempre amante das folhas desertas,
fui da noite,d'inverno,brisas incertas,
sequei na nevasca e floresci no outono,
e agora sou envelhecer do fruto ameno!

Tenh’amanhecida uma carência guardada
no aroma que gerou a flor da primavera,
o mesmo fogo qu’inda arde a minha vida,
a cad’inverno que m’aconchega e cheira!

As horas brotam talo heras perfumadas
neste tempo infindo, manso, adocicado,
onde cad’esperança vive das reticências
que preenchem as irrestritas ausências!

Santos-SP-25/07/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 25/07/2006
Código do texto: T201740
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23412 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:15)
Inês Marucci