Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pai...


Pai...
Tanto tempo se passou...
E os segundos estão aqui....estagnados no meu peito
Desde o seu ultimo suspiro.
A dor, o vazio, a sensação de falta de chão
O corte dilacerante e frio
Ainda fazem sangrar meu coração.

Pai...
Estou à deriva....
Ainda te busco (meu porto seguro)...
Na noite clara....
No dia escuro....
Você ainda é meu norte,
Meu número de sorte
As respostas que busco... que procuro....

Pai...
Lembro de você na mesa de jantar...
Lembro do seu riso...
Lembro seu olhar...
Lembro suas histórias...
O seu tom de voz ao falar...

Ah!!! Pai....
Os almoços de domingo perderam o sabor...
O seu lugar na mesa... vazio...
Dão-me o gosto  de comida insonsa...
De feijão frio...
De garfo sem dentes...
De faca sem fio...

Ah!!! Pai....
Quantas vezes eu quando entro em casa
Te busco no sofá da sala....
Te procuro na cadeira na varanda....
Te vejo à cata de acerolas... ainda que a aceroleira esteja sem frutos...

Ah!!! Pai... você não imagina
O quanto meu peito em luto
Reclama pela presença de tua visão...

Pai...
A vida tem me ensinado tanto....
E de forma tão diferente
Da forma que você fazia...
Você não podia ter partido
Não podia...
Não sem antes ter ensinado a ela
Como me ensinar sobre ela...
Não podia...

Ah Pai...
Meus filhos ficaram órfãos....
E eu não sei como ser pai pra eles...
Só conheci dois pais....
Você, e o que você me ensinou a amar e respeitar....
Tenho pedido tanto pra ELE...
Que arranque essa dor de meu peito
Que me ensine uma forma... um jeito..
De não te buscar mais....
OU então de te encontrar...
Ou então de te reencontrar...

Ah ! Pai...
Essa maçã... inteira....
Entalada em minha garganta....
As vezes não me deixa engolir...
Me impede de sorrir...
Me obriga a chorar...
Choro de dor.... de saudade....
De saudade....
De saudade..
Ah! Pai...
De saudade...
De saudade..
De saudade...

Te busco em tantas pessoas....
Nenhuma delas se parece com você...
Nenhuma delas pensa como você...
Nenhuma delas fala como você...
Nenhuma delas me olha como você...
Pai... o que faço com esse vazio?
Esse oco no meu peito...
O que faço com meus ossos
Eles tremem com esse frio....
Com essa falta que você me faz....

As vezes acho que eu nunca serei capaz...
Nunca...

Pai...
Você vai estar me esperando... não vai?
Tenho medo de não te encontrar...
Marluci Brasil
Enviado por Marluci Brasil em 12/08/2006
Código do texto: T214603
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marluci Brasil
Corumbá - Mato Grosso do Sul - Brasil, 61 anos
60 textos (4679 leituras)
6 áudios (870 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:48)
Marluci Brasil