Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saudade da lua
Tere Penhabe

É realmente muito triste,
uma rua escura, sem lua, sem nada...
um violão doente, encostado na calçada...
sem assunto pra tocar, sem namorados.
Meu Deus, que saudade daquele tempo
tantas histórias levadas pelo vento
sem nem uma chance de voltar,
ser de novo, uma rua com luar...
casais de mãos dadas
olhares perdidos, corações a palpitar.
Ah que saudade da minha rua, um dia
do violão, da algazarra que a gente vivia
cantando de porta em porta
fazendo serenata nas horas mortas,
para almas infelizes e carentes
que abriam a janela, sempre com alegria
querendo ver quem era aquela gente,
tão louca mas sempre tão contente
que cantava pelas madrugadas...
Parceiros da lua, companheiros da noite
às vezes mais bonita, especial
emprestando um jeitinho angelical
para as nossas serenatas...
Que triste saber que agora
não há mais lua, nem violão
tudo parou, e está quase parando
até o meu coração...

Santos, 20.06.2004_21:44 hs
OBS.: poema inspirado no texto do escritor
Guido Piva: A lua triste da rua escura.

Tere Penhabe
Enviado por Tere Penhabe em 23/08/2006
Reeditado em 23/08/2006
Código do texto: T223275

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tere Penhabe
Santos - São Paulo - Brasil, 61 anos
252 textos (25810 leituras)
5 áudios (601 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:27)
Tere Penhabe