Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Memórias

Revejo de repente a criança
Que batia o pé e teimava com certeza
Estou de mau pra sempre...
E todos os dias uma nova fantasia...
E toda briga era “pra sempre”.
Hoje essa lembrança me põe desenxabida
Pensar que agora sei que nada é tão pra sempre
Pêndulo das horas de batida dolorida...
Queria trazer-te de novo pro presente;
E justo essa distância que queria finda,
Se agiganta como o monstro que, na infância
Pousava ao pé da cama e punha a noite mal dormida.
Deus! Essa saudade é tão imensa!!!
Parte desse peito e não me deixa
Perde-se no horizonte além da vista
E, entretanto, fica.
E eu aqui, tão velha...tão criança...
Queria saber de ti,
Acerca da lição que não aprendi,
Lição tão nova e tão doída...
Será, meu Deus, assim tão dolorido?
Eu não sabia que “pra sempre”
Era assim tão longe...
Maior que o horizonte... Tão comprido.

Sônia C Prazeres
Enviado por Sônia C Prazeres em 03/10/2006
Reeditado em 14/02/2007
Código do texto: T255141

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Sônia C. Prazeres www.soniaprazeres.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sônia C Prazeres
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
178 textos (8564 leituras)
15 áudios (1757 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:20)
Sônia C Prazeres