Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Enquanto espera...

Estática expectativa do escuro passo.
Deleite do esperar, ânsia do amanhã.
Perdoar-se o gozo antecipado e crasso.
Talvez só miragem, possível emoção vã.

Doído o status de quem não apenas fica.
Moídas vísceras, lancinado coração.
O passar do tempo lentamente explica,
Como ser folha em pleno furacão,
De Fluxo intenso sem contrapartida.
Pulo sem colchão, leme sem timão,
Escuro do tempo, paz enfurecida,
Calma aparente, mente morta, solidão.
 
Presumir-se farto antecipar o vir
Presumir o fato como haverá de ser
Confundir num ato um imaginário haver
Consentir espaço ao trato pra sofrer
 
Reticentes e rijas ficam as membranas,
Aos convenientes nacos do elixir
Intermitentemente montam mente sana
Coerentemente em corpo a se exaurir
 
Aceitar, como a areia às ondas.
Acalmar, como depois do amor.
Refazer, tal uma mal feita conta.
Desconhecer se é amor ou dor.

Mesclam-se tempo e espera, fundem-se sonhos e fatos,
Lógicas, lúcidos atos,
Disputam o que fazer sentir

Trapos, cristais de farrapos,
Nada...
vazio... ruir.

 

Edbar
Enviado por Edbar em 10/11/2006
Código do texto: T287710
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edbar www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edbar
Recife - Pernambuco - Brasil, 65 anos
2869 textos (82753 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:42)
Edbar