Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SAUDADES DE MENINO.

 

 

 

 

A fonte.

 

 

 

Ah, minha doce cachoeira!

Meu brinquedo de menino,

Nas tuas corredeiras,

Meus anos foram... Indo.

As tuas negras pedras ainda,

Estão no meu caminho.

Ouço o teu roncar que se finda,

Em saudosos burburinhos.

Eras um regato lindo,

Nascido entre as montanhas.

Agora, tu és esgoto infindo,

Carregando coisas estranhas.

As tardes eram eternas,

Quando cantavam os sabiás e,

Nas tuas sombras frescas,

As cambacicas numa perna.

As tuas margens eram enfeites,

Que embelezavam as tuas beiras,

Num bailado de copos-de-leite,

Assanhando as lavadeiras.

Morreste sem ao menos eu te olhar.

Lembra-te que um menino,

Vive contigo a sonhar,

O teu sonoro canto cristalino.

 

 

 

Eráclito Alírio

 

 

Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 27/11/2006
Código do texto: T302642
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 74 anos
889 textos (135223 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 07:51)
Eráclito Alírio da silveira