Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRISTEZA


lisieux

Tristeza aperta-me o peito, me sufoca.
Arranha-me, afiadas garras, e me sangra.
Fere-me sem parar , mãos espalmadas,
morde-me , caninos de vampiro:
presas que me prendem ao teu destino.

Tristeza sorve-me da alma, o suspiro.
Reduz-me a quase nada, tão pequena...
Faz-me ficar parada, pensativa,
não me deixa trabalhar, tira-me o sono.

Faz-me permanecer horas a fio
a escrever bobagens no papel,
a uivar pra lua, animal no cio,
lembrando a tua boca, o teu olhar...

Caneta voa, em plena madrugada...
e escreve a ti mil versos de saudade,
tentando exorcizar a minha dor...

Tentando, enfim, desesperadamente,
fazer que o sangue pare de fruir,
a fim de não morrer, me esvaindo,
na minha poesia inútil, vã.

E esperando sempre que essas letras
possam levar-te,
na cauda de cometas,
a minha dor,
                a minha fé,
                               meu coração.

BH – 05.08.05
lisieux
Enviado por lisieux em 07/08/2005
Código do texto: T41084
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lisieux
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 61 anos
394 textos (14454 leituras)
3 e-livros (409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:05)
lisieux